CANIBAIS SÃO CONDENADOS POR DOIS ASSASSINATOS COMETIDOS EM PERNAMBUCO

O trio conhecido como “canibais de Garanhuns” foi condenado por assassinar, esquartejar, consumir e vender carne humana dentro de salgados no Agreste de Pernambuco. O júri popular terminou na noite deste sábado (15), no Recife.

Jorge Beltrão Negromonte da Silveira, Isabel Cristina Pires da Silveira e Bruna Cristina Oliveira da Silva foram julgados pelas mortes de Alexandra da Silva Falcão, 20 anos, e Gisele Helena da Silva, 31 anos, ocorridas em Garanhuns, em 2012.

A sentença começou a ser lida pelo juiz Ernesto Bezerra, que presidiu o júri popular, às 22h40. Conforme a decisão dos jurados, Jorge Beltrão terá que cumprir pena de 71 anos de reclusão. Isabel Cristina pegou 68 anos de reclusão. Bruna Cristina foi condenada a 71 anos e 10 meses de prisão.

Os três já haviam sido condenados pelo mesmo crime contra uma jovem em Olinda, no Grande Recife. De acordo com o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), as penas desse julgamento serão somadas ao tempo de prisão estabelecido anteriormente.

O segundo julgamento chegou a ser adiado devido a ausência de um dos defensores. A sessão começou na sexta-feira (14), quando os réus foram ouvidos em plenário, e foi retomada neste sábado, com o debate entre acusação e defesa.

Os três foram condenados por duplo homicídio triplamente qualificado – por motivo torpe, com emprego de cruel e impossível a defesa da vítima -, além dos crimes de ocultação e vilipêndio de cadáver e de furto qualificado. Jorge Beltrão e Bruna Cristina respondem ainda por estelionato, sendo que Bruna ainda é acusada de falsa identidade.

O caso seria julgado em Garanhuns, mas o advogado de um dos réus entrou com uma solicitação para que o júri acontecesse em outra comarca.

Os três respondem a dois processos: um pela morte de Jéssica Camila da Silva Pereira, em maio de 2008, pelo qual foram condenados em 2014; e outro pelos dois homicídios em Garanhuns.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/G1




MORO DIZ QUE LULA “FEZ COISAS BOAS DURANTE SUA GESTÃO, MAS TAMBÉM ERRADAS” E LAMENTA TER CONDENADO O EX-PRESIDENTE

O ex-juiz e futuro ministro da Justiça, Sergio Moro, disse lamentar o fato de ter sido o autor da sentença que condenou o ex-presidente Lula. “Da minha parte nada tenho contra o ex-presidente. Acho até lamentável que eu, infelizmente, tenha sido o autor da decisão que condenou uma figura pública que tem a sua popularidade e que fez até coisas boas durante sua gestão, mas também erradas”, afirmou durante entrevista ao apresentador José Luiz Datena no programa Brasil Urgente, da TV Bandeirantes.

“Isso no fundo não é um bônus para mim, é um ônus. Mas o fiz cumprindo o meu dever.”, completou o ex-juiz. Lula foi condenado por Moro, em julho de 2017, a 9 anos e 6 meses de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex de Guarujá (SP). Em janeiro deste ano, o TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) aumentou a pena para 12 anos e um mês de detenção. Depois de negados os recursos da defesa, Moro determinou a prisão do petista. Lula se entregou à Polícia Federal em 7 de abril e continua preso na Superintendência da PF, em Curitiba.

A defesa de Lula já entrou com vários de liberdade junto ao STF (Supremo Tribunal Federal) e STJ (Superior Tribunal de Justiça) alegando atuação política de Moro no julgamento do ex-presidente. Um dos recursos teve análise suspensa pela Segunda Turma do Supremo, no último dia 4, e não tem data para ser retomado.

O ex-juiz negou perseguição a um determinado grupo político e afirmou que a Lava Jato atingiu representantes de diferentes partidos. “Essa alegação de que a Justiça foi parcial nesses casos ignora que por desdobramento da Lava Jato vários outros personagens políticos da oposição também respondem a investigações e acusações sérias perante outros fóruns”.

Moro diz que aceitou o convite do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), para assumir a pasta da Justiça com o objetivo de realizar um bom trabalho no combate à corrupção e à violência. E que tal atividade, mesmo com elementos políticos, é diferente da política ligada aos partidos. “Não me vejo ingressando na política partidária, sem nenhum demérito aos que ingressaram. Na minha visão ainda sou um técnico que está indo para uma posição que tem um encargo político, mas para fazer um trabalho específico”, afirmou Moro. A entrevista teve tom de conversa entre amigos, com vários elogios de Datena ao futuro ministro. O apresentou se referiu a Moro como um homem “corajoso” e que “não vive um personagem”.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/Via: Folhapress




JUSTIÇA DE GOIÁS DECRETA A PRISÃO DO MÉDIUM JOÃO DE DEUS ACUSADO DE ABUSO SEXUAL

A Justiça de Goiás aceitou o pedido do Ministério Público e decretou a prisão preventiva de João Teixeira de Faria, o João de Deus, nesta sexta-feira, dia 14 de dezembro. Com a decisão, o médium, que é acusado de abusar sexualmente de centenas de mulheres em seu centro espírita, em Abadiânia (GO), pode ser preso a qualquer momento. A Polícia Civil já está nas ruas para detê-lo.

A petição foi protocolada na última quarta-feira, dia 12 pelos promotores Luciano Miranda Meireles e Patrícia Ottoni Pereira, que integram a força-tarefa do Ministério Pública do Estado de Goiás (MP-GO). Um dos argumentos do pedido de prisão é o bom desenvolvimento do processo.

Os promotores temem que, com o acusado em liberdade, vítimas se sintam amedrontadas e deixem de denunciar. Até a noite de quinta-feira, mais de 300 mulheres haviam denunciado João de Deus ao MP Goiano. O caso tramita em segredo de Justiça. Ainda na quarta-feira, funcionários de João de Deus garantiram que, caso a prisão fosse decretada, ele se entregaria, após negociação dos termos com seu advogado.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/Correio Braziliense 




APÓS BUSCAS EM SUA CASA NA BARRA DA TIJUCA, VEREADOR MARCELLO SICILIANO VAI À CIDADE DA POLÍCIA

Agentes da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) fizeram buscas no apartamento do vereador Marcello Siciliano (PHS), na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, na manhã desta sexta-feira, dia 14 de dezembro.

A informação foi confirmada pelo delegado Antônio Ricardo Lima Nunes, titular da especializada. O gabinete de Siciliano citado em delação como envolvido nas mortes da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes na Câmara dos Vereadores também foi alvo de buscas e apreensão. De acordo com assessoria da Casa, a sala está lacrada.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/Veja




TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DECRETADA PRISÃO PREVENTIVA DE FUNCIONÁRIO QUE APAGOU IMAGENS DA CÂMERA DE SEGURANÇA DA ESCOLA NO CASO BEATRIZ EM PETROLINA

O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) decretou, na tarde desta quarta-feira, dia 12 de dezembro, a prisão preventiva do funcionário de uma escola particular em Petrolina que apagou as imagens do circuito interno de câmeras da instituição no dia do homicídio da menina BEATRIZ MOTA, de apenas sete anos, ocorrido em 2015. Para a Polícia Civil, o funcionário, identificado como ALLINSON HENRIQUE DE CARVALHO CUNHA, cometeu o crime de obstrução de justiça ao apagar as imagens que poderiam ajudar a elucidar o caso. Até o momento ele não é considerado suspeito de cometer o crime que abalou a cidade de Petrolina.

A mãe de Beatriz, Lúcia Mota, que acompanhava o julgamento na sede do TJPE, passou mal e chegou a desmaiar após a confirmação da decisão judicial. Ela foi atendida em um posto médico do TJPE e foi encaminhada na sequência a um hospital particular do Recife.

No dia 10 de dezembro de 2015, o corpo de Beatriz foi encontrado com 42 facadas em uma sala desativada de uma escola particular onde ela estudava. O caso continua envolto em uma atmosfera de mistério e muitas incertezas sobre a investigação que busca apontar os responsáveis pelo homicídio.

O pedido de prisão de Alisson foi inicialmente negado pela juíza Elaine Brandão em julho deste ano. O Ministério Público de Pernambuco recorreu da decisão e o caso foi apreciado pela Terceira Câmara Criminal do TJPE, integrada por três desembargadores. Dois magistrados votaram pela prisão e um foi contra.

Minutos antes da sessão, os pais, amigos e outros familiares de Beatriz promoveram um protesto na frente da sede do poder judiciário pernambucano, no bairro de Santo Antônio, centro do Recife. Com faixas e cartazes com pedidos de Justiça, o grupo, que saiu de Petrolina para acompanhar o julgamento no Recife, chegou a bloquear por poucos minutos a Rua Imperador Pedro II.

Em março do ano passado, a Polícia Civil conseguiu imagens que revelam a face do suposto autor do crime. Para os investigadores, não há dúvidas de que o homem que aparece nas filmagens de câmeras de segurança de estabelecimentos próximos ao colégio é o autor do homicídio. No entanto, até hoje, depois de quatro delegados passarem pelo caso, o responsável não foi preso.

A Polícia Civil convocou uma entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira (12) para comentar o assunto.

A Polícia Civil de Pernambuco (PCPE) divulgou um vídeo que mostra Allinson Henrique de Carvalho Cunha, suspeito de ter apagado imagens de câmeras de segurança do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, em Petrolina, entrando na sala onde ficam os equipamentos de informática da unidade de ensino. O vídeo em que Allinson entra na sala é do dia 4 de janeiro de 2016, 20 dias depois do brutal crime que tirou a vida da menina Beatriz Angélica Mota, de 7 anos, durante uma festa de formatura na instituição de ensino.

A PCPE divulgou as imagens do suspeito entrando na sala após o Tribunal de Justiça (TJPE) decretar a sua prisão preventiva, na manhã de hoje (12). O TJPE reformou a decisão da juíza de primeiro grau de Petrolina, Elayne Brandão, que havia negado a prisão em julho deste ano. Allinson nega a acusação. Passados três anos do crime, essa é a primeira prisão decretada no Caso Beatriz.

Os pais de Beatriz, Sandro Romilton e Lucinha Mota, se reuniram com Joselito Kehrle Amaral, chefe da PCPE. Na ocasião, a delegada responsável pelo caso, Polyana Neri também esteve presente. “Essa [prisão] preventiva é um recomeço para tudo novamente. Nós vamos trabalhar tudo novamente e buscar encerrar todas as linhas de investigação. Ele [Allinson] está seno acusado de falso testemunho e fraude processual“, comentou Polyana.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/OP9/Carlos Britto/Imagem: Bonfim Notícias




SEGUNDA TURMA DO STF REJEITA DENÚNCIA CONTRA SENADOR FERNANDO BEZERRA

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou nesta terça-feira, dia 11 de dezembro por 3 votos a 2 a denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal contra o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) na Operação Lava Jato.

O senador foi acusado de pedir e receber propina de R$ 41,5 milhões entre 2010 e 2011 das construtoras Queiroz Galvão, OAS e Camargo Corrêa.

Em troca, segundo a denúncia do Ministério Público, o senador teria participado da concessão de incentivos tributários em Pernambuco para as obras de construção da refinaria Abreu e Lima, da Petrobras.

À época, o senador era secretário no governo de Eduardo Campos, e o dinheiro teria sido desviado de contratos superfaturados das empreiteiras com a Petrobras e depositado na forma de doações eleitorais para o PSB e para a campanha de Campos.

A defesa do parlamentar sempre negou as acusações, afirmando que Fernando Bezerra assumiu o cargo em 2007 e os incentivos estaduais foram aprovados no ano anterior, em outra gestão.

O julgamento foi adiado em dezembro do ano passado com um empate. O ministro Ricardo Lewandowski, único que não havia apresentado voto, desempatou a análise nesta terça.

“Os elementos trazidos são insuficientes para o recebimento da denúncia”, afirmou o ministro, acompanhando o relator, ministro Gilmar Mendes, e o ministro Dias Toffoli, que já haviam se posicionado pela rejeição.

Votaram pelo recebimento da denúncia os ministros Edson Fachin e Celso de Mello.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/G1




POLÍCIA FEDERAL CUMPRE MANDADO DE BUSCA E APREENSÃO NAS RESIDÊNCIAS DE AÉCIO NEVES E FAMILIARES, ALÉM DE PAULINHO DA FORÇA

A Polícia Federal faz busca e apreensão, nesta manhã de terça-feira, 11 de dezembro no apartamento do senador Aécio Neves (PSDB-MG) no Rio de Janeiro.

Os mandados de busca e apreensão de hoje acontece nos endereços do tucano no Rio de Janeiro e Minas Gerais, são desdobramentos da ação na “Lava Jato” lastreada nas delações de Joesley Batista e Ricardo Saud, executivos da JBS.

Equipes da Polícia Federal e do Ministério Público Federal cumprem, n mandados de busca e apreensão em imóveis do senador Aécio Neves (PSDB) e da irmã dele, Andréa Neves, no Rio e em Minas Gerais.

Outros alvos desta operação são Paulo Pereira da Silva, Paulinho da Força, deputado federal e presidente nacional do partido Solidariedade, a deputada federal Cristiane Brasil (PTB); e empresários que, afirmam promotores, emitiram notas fiscais frias para Aécio.

Agentes estão em prédio de luxo na Avenida Vieira Souto, em Ipanema, Zona Sul do Rio, onde o senador e deputado federal eleito tem residência. Equipe também está em um imóvel em Copacabana, também na Zona Sul carioca, de Andréa.

A procura de documentos faz parte de operação baseada em delações de Joesley Batista e Ricardo Saud. Os executivos do grupo J&F relataram repasse de propina de quase R$ 110 milhões ao senador Aécio Neves.

A PF só conseguiu entrar às 7 horas e 10 minutos no apartamento atribuído a Aécio no Rio. Há buscas em endereços ligados a Aécio e à irmã dele em Minas Gerais e em imóvel de Paulinho da Força em SP.

A operação no Rio é braço de investida que ocorre simultaneamente em São Paulo (capital e interior, com nove mandados), Brasília, Bahia e Rio Grande do Norte. Decorre do inquérito 4519, que tem como relator, no Supremo Tribunal Federal, o ministro Marco Aurélio.

Segundo a PF, o senador Aécio Neves comprou apoio político do Solidariedade, por R$ 15 milhões, e empresários paulistas ajudaram com doações de campanha e caixa 2, por meio de notas frias.

Procurada, a assessoria de imprensa de Aécio disse não ter conhecimento das buscas.

O deputado Paulinho da Força por volta das 7 horas e 15 minutos ainda não havia atendido aos telefones para comentar sobre a operação policial, chegou a atender o telefone mais desligou.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro




GOVERNO DO CEARÁ AFASTA 12 POLICIAIS ENVOLVIDOS EM TIROTEIO QUE DEIXOU 14 MORTOS EM MILAGRES

O governador do Ceará, Camilo Santana, comunicou nesta segunda-feira, dia 10 de dezembro, que 12 policiais que participaram do tiroteio que deixou 14 pessoas mortas na cidade de Milagres, no interior do Ceará, foram afastados das funções até a conclusão das investigações sobre o ocorrido. Os agentes de segurança afastados trocaram tiros com os assaltantes que tentavam roubar duas agências bancárias no Centro da cidade. Das 14 pessoas mortas, 8 eram suspeitos e seis reféns, sendo cinco de uma mesma família.

A tentativa de roubo aconteceu na madrugada de sexta-feira, dia 7 no Centro de Milagres. De acordo com a Secretaria de Segurança, cinco criminosos foram baleados nas proximidades das agências e morreram. Outros dois suspeitos morreram no hospital e um oitavo envolvido durante confronto com policiais na cidade de Barro.

Após o ocorrido, as duas agências bancárias, do Banco do Brasil e do Bradesco, que seriam alvos dos bandidos, abriram normalmente nesta segunda-feira. Os bancos ficam localizados na Rua Presidente Vargas, no Centro do município, que tem 28 mil habitantes.

Segundo Camilo Santana, os policiais afastados ficarão trabalhando em serviços administrativos até a conclusão da apuração sobre o caso. Ainda conforme o governador, a Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública (CGD) abriu uma investigação preliminar para analisar a conduta dos agentes.

Camilo Santana também se desculpou pela declaração feita após a ocorrência, quando ele disse que “o fato era que os criminosos estavam preparados para assaltar dois bancos e não conseguiram”. A fala não foi bem aceita pelos familiares dos reféns que morreram.

“De forma infeliz disse aquilo. Mas pedi desculpas à família. Quem me conhece sabe do meu respeito às pessoas e da minha defesa à vida”, afirmou.

Sobre o porquê de a Polícia Rodoviária Federal (PRF) não ter sido acionada na ação de sexta-feira, Camilo comenta que não deve se antecipar.

“Todo resultado vai mostrar. Não quero me antecipar, a informação que chegou imediatamente na sexta não dizia quem era refém ou não”, complementa.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/O Povo com a Notícia




TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA É FIRMADO VISANDO SEGURANÇA NO FESTIVAL VIVA GONZAGÃO 2018 EM EXU

Uma reunião com a presença de várias autoridades foi realizada na última sexta-feira, dia 07 de dezembro na Promotoria de Justiça de Exu, no Sertão do Araripe,  e resultou em um um Termo de Ajustamento de conduta – TAC, visando a segurança do público que irá prestigiar o “Festival Viva Gonzagão 2018,”, que vai comemorar os 106 anos do nascimento de Luiz Gonzaga, evento que é promovido pela Prefeitura de Exu e a ONG Parque Aza Branca.

Estiveram participando da reunião, a promotora do município de Exu, Nara Tamires, o prefeito Raimundo Pinto Saraiva, o Secretário de Cultura Turismo e Desportos Rodrigo Moreira, o comandante da Companhia da Polícia Militar, Capitão Ivan Gomes, e o Comandante do Centro de Atividades Técnicas do Sertão VI (CAT Sertão) major Francinaldo, que destacou os principais objetivos do TAC.

“O objetivo principal desse TAC é estabelecer medidas para garantia da segurança pública. Foi definida a organização da programação, com os dias e os horários do início e termino dos eventos, o disciplinamento do comércio de ambulantes, o trânsito no entorno do polos, a proibição da comercialização e consumo de bebidas pelo público em recipiente de vidro nas áreas dos polos, e uma atenção especial com relação a presença de menores nos locais de festa”, explicou.

Ainda de acordo com major Francinaldo, também será disponibilizada uma equipe de primeiros socorros. No tocante ao Corpo de Bombeiros, as providências dos organizadores para regularização de toda a estrutura montada para o evento. “Enfim, os vistoriadores do CAT Sertão VI farão uma vistoria técnica em todas as  estruturas dos polos festivos, afim de promover maior segurança a população que certamente estará prestigiando o Festival Viva Gonzação 2018”, frisou.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/Ouricuri em Evidência/Por Roberto Gonçalves




POLICIAIS CIVIS PARALISAM AS ATIVIDADES NESTA TERÇA, EM PROTESTO À REFORMA ADMINISTRATIVA DO GOVERNO BAIANO

Os policiais civis que trabalham nas Coordenadorias Regionais do interior baiano e nas delegacias especializadas irão paralisar as atividades, nesta próxima terça-feira, dia 11 de dezembro, no período vespertino, para acompanhar a votação da reforma administrativa

Com faixas, cartazes e apitos, os servidores da Segurança Pública baiana irão protestar contra a reforma administrativa encaminhada pelo Governo do Estado à Assembleia Legislativa, a partir das 13 horas, em frente à AL- Ba, localizada no CAB. O aumento da alíquota previdenciária de 12% para 14%, a extinção dos 590 cargos das Coordenações de plantão da Polícia Civil e a diminuição do custeio que o Estado tem com o Planserv de 4% para 2%, estão previstas para serem votadas na tarde terça-feira.

O Presidente do Sindopoc, Eustácio Lopes, afirma que a reforma vai impactar diretamente na vida dos servidores públicos que já estão há três anos sem reajuste. Como exemplo, Lopes menciona a dificuldade de atendimento do Planserv após a implementação do sistema de cotas.

Se o Planserv já estava precário, o servidor já tinha dificuldades em agendar os exames e os procedimentos cirúrgicos, devido às cotas que foram estabelecidas. Com essa diminuição do investimento no Planserv, o servidor vai para padecer. É necessária a participação de todos nós porque vamos sofrer um grande prejuízo”, frisa o dirigente sindical.

Na última quinta-feira, dia 6, os sindicalistas entregaram um Termo de Acordo ao líder do governo, o deputado estadual Zé Neto (PT). As categorias da Segurança Pública apresentam uma proposta de contrapartida, caso o Governo do Estado não recue em relação à reforma administrativa. O documento solicita como Compensação Geral para todas as categorias o aumento do auxílio-alimentação de R$ 9 para R$ 20; a implementação do Programa Habitacional através da Superintendência de Desenvolvimento Urbano, (SDU) e a redução da contribuição previdenciária dos inativos e pensionistas.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/Blog Vale Comentar




CÂMARA APROVA QUE AGRESSOR PAGUE SUS POR VÍTIMA DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou na noite da última terça-feira, dia 4 de dezembro, o projeto de lei que obriga agressor a ressarcir o Sistema Único de Saúde (SUS) por custos com vítimas de violência doméstica. A medida, que visa aumentar o rigor da Lei Maria da Penha, também determina que dispositivos de segurança usados no monitoramento das vítimas sejam custeados pelo agressor. A matéria segue para o Senado.

Pelo texto, o agressor que por ação ou omissão causar lesão, sofrimento físico, sexual, psicológico ou dano moral e patrimonial, fica obrigado a ressarcir todos os danos causados, inclusive ressarcir ao cofres públicos todos os custos, de acordo com a tabela SUS. As despesas envolvem os valores pagos pelo Estado no tratamento das vítimas em situação de violência doméstica e familiar.

Segundo os autores do projeto, os deputados Rafael Motta (PSB-RN) e Mariana Carvalho (PSDB-RO), argumentam que, além de responder na esfera penal, o agressor precisa ter sua conduta de violência contra a mulher responsabilizada sobre os danos materiais e morais causados. “A lei precisa deixar bem clara a responsabilidade dos agressores alcançados pela Lei Maria da Penha em arcar com todos os prejuízos que ele causou”, apontam.

“Esse tipo de violência quase sempre demanda a atenção integral à saúde da vítima e a adoção de medidas protetivas. São muitos os serviços que podem ser exigidos não só para a recuperação das lesões causadas ao corpo, mas também para o tratamento do dano psicológico e para prevenir que novas agressões e danos de maior gravidade ocorram”, afirmam os parlamentares ao justificar o projeto. “Os gastos do atendimento prestado pelo SUS, pagos com recursos públicos, também precisam ser objeto de reparação, do contrário, quem estará assumindo tal responsabilidade, por um ato ilícito, será a sociedade de uma forma geral”, completam.

A deputada Érika Kokay (PT-DF), autora do substitutivo aprovado naquela noite, incluiu ainda um trecho à lei para impedir que o ressarcimento alcance o patrimônio da mulher agredida ou que configure atenuante em substituição da pena aplicada.

Campanha pelo fim da violência contra mulher

Na sessão desta terça-feira, o plenário da Câmara também aprovou uma medida que assegura o direito à reconstrução da mama para mulheres submetidas a tratamento contra o câncer. O texto já havia sido aprovado pelos senadores e, dessa forma, segue para sanção presidencial.

As matérias fazem parte da agenda de votações de projetos pendentes dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres. Neste ano, Câmara e Senado participam da campanha mundial que busca conscientizar a população sobre os diferentes tipos de agressão contra as meninas e mulheres.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/Ouricuri em Evidência/Via: Agência Brasil




APÓS DOIS VOTOS CONTRA LIBERDADE DE LULA, JULGAMENTO NA 2ª TURMA DO STF É ADIADO

Após dois votos contrários à libertação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro Gilmar Mendes pediu vista (mais tempo para analisar o processo) e adiou a conclusão do julgamento na Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF).

Antes do pedido de Gilmar Mendes, Edson Fachin (relator) e Cármen Lúcia tinham votado contra a concessão de liberdade a Lula e contra a anulação dos processos relacionados a Lula nos quais Sérgio Moro atuou como juiz federal. Os dois pedidos foram feitos pela defesa de Lula. Além do voto de Gilmar Mendes, faltam os de Ricardo Lewandowski e Celso de Mello. Não há data para o julgamento prosseguir.

Gilmar Mendes afirmou que se trata de “matéria controvertida e que tem dado ensejo a debates na imprensa nacional e internacional”. O ministro argumentou que, embora a Corte já tenha discutido diversos temas relacionados no habeas corpus, outros “fatos novos” ainda não foram debatidos. “Considerando a importância do tema, eu vou pedir vista”, disse.

Os advogados de Lula apresentaram o pedido de liberdade depois de Sérgio Moro, ainda como juiz responsável pela Lava Jato, ter aceitado o convite do presidente eleito Jair Bolsonaro para ser ministro da Justiça. Para a defesa, a aceitação do convite comprova parcialidade de Moro na condenação do ex-presidente. Lula se diz inocente.

Lula está preso desde abril deste ano. O ex-presidente foi condenado por corrupção e lavagem de dinheiro em processo da Operação Lava Jato a 12 anos e 1 mês de prisão. A sentença foi do Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª Região, que ampliou a pena originalmente determinada por Moro (9 anos e 6 meses de prisão).

Continue lendo




STF JULGA HOJE LIBERDADE DE LULA E DECIDE SE MORO FOI PARCIAL

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) julga nesta terça-feira dia 04 de dezembro, um habeas corpus movido pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que ele deixe a prisão em Curitiba, onde está detido há quase 8 meses. Os advogados de Lula argumentam que o ex-juiz federal Sergio Moro, futuro ministro da Justiça e Segurança Pública do governo Bolsonaro, era suspeito para julgar o petista e pedem a anulação do processo do tríplex do Guarujá (SP), causa de sua prisão, assim como de outras duas ações penais abertas por Moro contra ele na Lava Jato.

No pedido de liberdade, a defesa de Lula enumera o que considera terem sido manifestações de parcialidade do ex-juiz em relação ao ex-presidente. São citados a condução coercitiva do petista, a quebra do sigilo telefônico dele e de familiares e a divulgação dos áudios das ligações, em 2016, a condenação a 9 anos e 6 meses de prisão no caso do tríplex, em 2017, e a decisão de Moro que barrou a soltura de Lula, quando o desembargador federal Rogério Favreto decidiu libertá-lo, em julho de 2018.

O principal fato a motivar a nova ação pela liberdade do ex-presidente, contudo, foi o “sim” de Sergio Moro ao convite do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) a integrar seu ministério. Os defensores do petista alegam que Moro foi decisivo para que Lula não participasse da eleição presidencial e, assim beneficiou Bolsonaro, que será seu chefe a partir de janeiro.

A ação lembra que, antes de a campanha presidencial começar, o então juiz federal adiou o depoimento do ex-presidente no processo que trata do sítio de Atibaia (SP) “a fim de evitar a exploração eleitoral” e, já na reta final da disputa, tirou o sigilo de parte da delação premiada de Antonio Palocci, ministro da Fazenda durante o primeiro mandato de Lula e da Casa Civil no governo Dilma Rousseff.

Nos trechos que vieram à tona por decisão de Moro, Palocci relata que, em 2010, em uma reunião no Palácio da Alvorada, Lula orientou o então presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, a encomendar a construção de navios-sonda de exploração do pré-sal, em contratos que gerariam recursos “para garantir o futuro político do país e do Partido dos Trabalhadores com a eleição de Dilma Rousseff”.

“Providências tomadas em processos judiciais contra o Paciente resultaram em benefícios eleitorais ao agora Presidente eleito — opositor político de Lula —, que, logo após o sufrágio, concede um dos mais relevantes cargos do governo federal ao mesmo magistrado. Tudo coincidência?”, indaga a defesa. “Um olhar sobre os detalhes do processo eleitoral e seus desdobramentos permite confirmar, acima de qualquer dúvida razoável, que a atuação do Juiz Sérgio Moro em relação a Lula sempre foi parcial e teve por objetivo interditar o ex-Presidente na política”, completa.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/Veja




POLÍCIA FEDERAL ABRE INQUÉRITO CONTRA O BRAÇO DIREITO DE BOLSONARO, PAULO GUEDES

A Polícia Federal (PF) abriu inquérito para investigar o economista Paulo Guedes, futuro ministro da Economia escolhido pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro. A investigação apura supostas fraudes em negócios com fundos de pensão patrocinados por estatais. O inquérito decorre de pedido feito em outubro pelo Ministério Público Federal (MPF) em Brasília, que também abriu procedimento preliminar a respeito, com base em irregularidades apontadas pela Previc (Superintendência Nacional de Previdência Complementar). As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

A PF vai apurar se Guedes cometeu os crimes de gestão fraudulenta ou temerária ao captar, por meio de um fundo de investimentos, recursos de sete entidades de previdência complementar de empregados de empresas públicas. Também será averiguada a hipótese de emissão e negociação de títulos sem lastros ou garantias suficientes.

Em nota, a defesa de Guedes disse que “reafirma a lisura de todas as operações do fundo que, diga-se de passagem, deu lucro aos cotistas, incluindo os fundos de pensão”. “Espera também que a investigação – agora corretamente conduzida no âmbito da Polícia Federal – apure as incoerências do relatório irregular produzido na Previc”, afirmou nota assinada pelos advogados Ticiano Figueiredo e Pedro Ivo Velloso.

Além do futuro ministro de Jair Bolsonaro, são alvo da apuração os administradores das entidades de previdência complementar. Em seis anos, Guedes captou R$ 1 bilhão de fundos de pensão geridos por apadrinhados do PT e do PMDB. Entre eles, estão Previ (Banco do Brasil), Petros (Petrobras), Funcef (Caixa) e Postalis (Correios), além do BNDESPar – braço de investimentos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

A PF já requisitou relatórios da Previc que embasam as suspeitas. O inquérito foi remetido à Justiça Federal em Brasília, com pedido para que tramite em sigilo.

O caso ficará sob responsabilidade da chefe da Delegacia de Repressão à Corrupção e Crimes Financeiros da Superintendência da PF em Brasília, delegada Dominique de Castro Oliveira, tida pelos pares como rigorosa tecnicamente. Na Procuradoria, a investigação é conduzida pelo procurador Alselmo Henrique Cordeiro Lopes, do grupo que dirige inquéritos e já denunciou vários executivos e agentes públicos por desvios em fundos de pensão e na Caixa Econômica Federal.

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), afirmou hoje (1º) que não tem conhecimento sobre o inquérito aberto pela Polícia Federal para investigar Paulo Guedes, confirmado para o Ministério da Economia. Ele participou neste sábado da cerimônia de formatura de aspirantes a oficial na Academia Militar das Agulhas Negras (Aman) onde se formou em 1977.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/Jornal Metrópole