AUXILIO EMERGENCIAL E FALTA DE INFORMAÇÃO GERA AGLOMERAÇÃO E TUMULTO EM OURICURI

Share this...
Share on Facebook
Facebook
0

Nesta segunda-feira, dia 20 mais uma vez a fila da agência da Caixa Econômica em Ouricuri amanheceu com grande número de pessoas em busca do benefício.

Às 5 horas da manhã já era grande a fila, por volta das 10 horas, as filas em dois sentidos fazia o retorno pela rua de acesso a praça Voluntários da Pátria, chegando a gerar um tumulto quando a prefeitura decidiu interditar as vias de acesso à praça utilizando um caminhão, quando um comerciante se posicionou contra e segundo informes teria agredido verbalmente o motorista e fiscais da prefeitura. A polícia foi acionada para resolver a situação, mantendo o caminhão no meio da via, interditando a passagem de veículos no local, o mesmo acontecendo ao lado da agencia da CEF.

A preocupação da prefeitura é que o número de pessoas aumente na próxima quarta-feira, após o feriado de Tiradentes e alerta as pessoas que busquem informações, pois muitas pessoas que se arriscam nas filas ainda não estão com o benefício liberado, outras buscam apenas informações e outras ainda estão na fila para tentar fazer o cadastro, o que pode ser feito pelos aplicativos disponibilizados pelo governo e pela própria Caixa Econômica.

Um movimento atípico, aglomeração excessiva está sendo registrada hoje nas proximidades da agencia bancária e na única lotérica em funcionamento na cidade com pessoas da cidade e de outros municípios, que decidem vir a Ouricuri para os serviços oferecidos pela CEF.

Segundo Hebertônio Viana, integrante do Comitê Municipal de Enfrentamento a Coronavírus e do Conselho de Trânsito em Ouricuri, apenas uma agencia está funcionando e a outra só deverá abrir em maio, pois teria dado férias aos funcionários quando da entrada em vigor do decreto estadual. Ainda segundo ele, houve uma reunião com os responsáveis pelas Casas Lotéricas, sendo que uma delas, localizada na rua da feira livre, resolveu reabir.

Agentes do comitê estão com dificuldades em controlar as pessoas nas filas para que cumpram a distância regulamentar para se protegerem do coronavírus, pois as pessoas resistem e não atendem a orientação.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro – Radar de Notícias