FERNANDO BEZERRA TEM SEU NOME DEFENDIDO PARA PRESIDÊNCIA DO SENADO POR RENAM CALHEIROS

O nome do Senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) foi defendido por Renan Calheiros para concorrer à Presidência do Senador, caso ele não consiga os 41 votos que precisa para ser o candidato do MDB.

Se Fernando Bezerra for mesmo o candidato do MDB vai disputar com a senadora Simone Tebet.

Um dos problemas que o senador Pernambucano pode enfrentar é que o nome de Simone é mais aceitável que o dele entre os colegas, más nada pode ser impossível, visto que Fernando é muito articulador e tem consigo uma larga experiência política.

Fernando Bezerra Coelho é senador desde 2015, ele foi eleito em 2014 quando disputou a vaga na chapa junto com o atual governador de Pernambuco Paulo Câmara (PSB). Hoje faz oposição ao governador, inclusive tentou colocar seu nome na disputa das eleições de 2018, mas foi impedido por uma briga partidária com o deputado federal Jarbas Vasconcelos (MDB), que não liberou a legenda para Fernando ser candidato a governador de Pernambuco.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/Damião Sousa/AFNEWSS/Foto: Pedro França

GOVERNO DE PERNAMBUCO REALIZA PRIMEIRA REUNIÃO COM NOVO SECRETARIADO

A reunião deste sábado (5) foi o primeiro encontro do secretariado / Foto: Ezequiel Quirino/TV Jornal

Após definir os 27 nomes que comandarão as pastas para o seu segundo mandato, o governador Paulo Câmara (PSB) realizou, no Palácio do Campo das Princesas, o primeiro encontro com todos os novos secretários para definir as prioridades e metas para os próximos anos de cada secretário ou órgão de Estado.

“É a deste novo ciclo e nosso Estado segue um padrão de governabilidade reconhecido mundialmente. Vamos apresentar ao nosso secretariado, principalmente aos novos, como funciona esse modelo. É um modelo de gestão que percorre o Estado para escutar a população”, disse Alexandre Rebêlo, secretário de Planejamento e Gestão do governo do Estado.

Ainda segundo Alexandre, as prioridades de cada pasta ainda serão definidas a partir de estudos das ações que já estavam em andamento. “O que a gente faz agora é olhas as metas e pactuar com o governador o que será feito no Estado”, completou.

Governo Bolsonaro

O governador também destacou a necessidade da integração entre as pastas, para a garantia de mais efetividade nas ações de governo, e orientou o secretariado a buscar recursos com governo Bolsonaro. “A orientação do governador é a de que os secretários devem ir até Brasília procurar os ministros e buscar ações e financiamentos para as obras relacionadas a Pernambuco”, explicou Rebêlo.

Além do governador Paulo Câmara, participaram da reunião os gestores das 22 secretarias, Procuradoria Geral, Casa Militar, além da vice-governadora Luciana Santos.

Novo secretariado

O novo secretariado tem a marca do prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB). Um dos principais auxiliares do prefeito, o secretário municipal de Planejamento e Gestão de Pessoas, Alexandre Rebelo, comandará a Secretaria de Planejamento e Gestão de Pernambuco. A pasta é uma das principais Estado que concentra funções de gestão fiscal e coordena programas como o Pacto Pela Vida.

À frente da gestão dos Compaz da prefeitura, o jornalista Eduardo Machado passará a assumir a Secretaria de Imprensa. O secretário de Governo do Recife, Sileno Guedes, presidente estadual do PSB, também foi um dos nomes que irá compor a nova equipe de Paulo. Guedes ficará com a pasta que comanda a Secretaria de Desenvolvimento Social.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/Da Editoria de Política do JC / Foto: Ezequiel Quirino/TV Jornal

PAULO CÂMARA NÃO DEVE CHAMAR DEPUTADOS FEDERAIS PARA COMPOR SECRETARIADO

O pós-Natal trouxe consigo uma informação que pode mudar completamente a correlação de forças na Frente Popular. É que o governador Paulo Câmara, dizem aliados em reserva, teria se decidido por não convocar nenhum deputado federal para seu secretariado. A decisão joga um balde de água fria em diversas forças políticas do estado, que contavam com um cenário de até quatro federais no primeiro escalão, abrindo as vagas dos suplentes. A decisão, ressaltam as fontes, não se aplica aos deputados estaduais.

De cara, a não convocação de deputados federais confirma uma notícia antecipada pela coluna de que João Campos, eleito com a maior votação da história, vai mesmo ficar em Brasília exercendo o mandato. O filho de Eduardo, inclusive, será um representante do PSB de Pernambuco com mais presença na cúpula do partido. Sem mandato a partir de janeiro, os governadores Márcio França (São Paulo) e Rodrigo Rollemberg (Distrito Federal) podem virar empecilhos na hegemonia do estado no comando partidário.

Outro que deve ficar na capital federal é Felipe de Carreras, que, afastado do núcleo governista em Pernambuco, está sendo procurado para voltar ao ninho, restaria saber se o parlamentar manterá o espaço do seu grupo no governo. Quem ficará de fora nessas condições é Milton Coelho, ex-secretário de Administração e primeiro suplente da coligação. O socialista, contudo, deve ser aproveitado no governo.

Opção do PT para a nova Secretaria de Desenvolvimento Agrário, o atual presidente da CUT, Carlos Veras, já estava até fazendo elogios ao governador em entrevistas. Veras era um dos generais de Marília Arraes na pré-campanha da vereadora ao Campo das Princesas. Sua ida para o governo era vista como uma forma de “matar dois coelhos com uma só cajadada”, porque abriria espaço em Brasília para o primeiro suplente do PT, Odacy Amorim, ao mesmo tempo em que o afastaria de Marília. Com isso, o indicado do PT para a pasta deve ser mesmo o estadual eleito Doriel Barros, da Fetape, que assegurará vaga na Alepe para o ex-prefeito João da Costa e na Câmara do Recife para Oscar Barreto.

Outro que sonhava acordado com a convocação de um deputado eleito da sua chapa – PP, PR e SD – era Kaio Maniçoba, também primeiro suplente. Kaio, que foi secretário de Habitação de Paulo Câmara, teria articulado a vaga de vice na chapa de Armando Monteiro, fechando as portas no governo. Por fim, ainda havia a possibilidade de Sebastião Oliveira, da mesma coligação, voltar ao primeiro escalão estadual. Como perdeu o comando do PR, o parlamentar deve ter seu espaço reduzido no governo.

O chefe da Assessoria Especial do governador, Antônio Figueira, está conversando com os líderes dos partidos da Frente Popular para tratar da composição do secretariado estadual. As reuniões, contudo, têm sido realizadas fora do Palácio para evitar fofocas – muitas delas, inclusive, na residência do secretário. Depois da prévia com Figueira, os dirigentes partidários sentarão com o próprio Paulo Câmara. As principais legendas já foram consultadas.

O prefeito Geraldo Julio já avisou a cinco auxiliares que eles podem ir para a equipe do governador Paulo Câmara com o objetivo de ajudar o mandatário e abrir espaços na Prefeitura do Recife para mais partidos da Frente Popular ocuparem secretarias. Alguns desses quadros, inclusive, formam a chamada “coluna vertebral” do Governo Geraldo. Palacianos apontaram que o prefeito queria fazer um gesto com o projeto.

Até então intocáveis, nomes umbilicalmente ligados a Geraldo Julio já foram cogitados pelo chefe para serem liberados para Paulo Câmara. Entre eles, Alexandre Rebelo, secretário de Educação, e Roberto Gusmão, titular da pasta de Infraestrutura e Habitação – ambos ventilados também para 2020. Contudo, é difícil que os dois saiam. Apesar da largueza do prefeito, dizem aliados, os auxiliares devem permanecer na prefeitura.

Quem pode estar de mudança para o Estado com o objetivo de ajudar Paulo na articulação política é o presidente estadual do PSB e atual secretário de Governo do Recife, Sileno Guedes. Outro nome lembrado foi o do secretário executivo de Planejamento da capital, Alexandre Gabriel, que teve desempenho elogiado na coordenação da comunicação da campanha de Paulo. Também se fala em João Guilherme Ferraz, que toca a área de Projetos Especiais da PCR. Em comum, além da capacidade técnica e sensibilidade política, tem o fato de os três serem muitos ligados a Geraldo.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/Por Arthur Cunha/magno Martins

UNIÃO ENTRE PPS E REDE SUSTENTABILIDADE MARCADA PARA MARÇO

A união do PPS com a Rede ficou para 2019 e, se tudo der certo, será em março. O senador Cristovam Buarque (PPS-DF), não reeleito, preparou uma lista de compromissos.

“Estou com medo de que fiquem discutindo a burocracia da fusão, e não o programa”, disse.

Após dois mandatos, o senador afirmou que fará “pequenos sabáticos” a partir de janeiro. “Vou escrever, ler e viajar”, afirmou. África do Sul e China estão na lista.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/Coluna do Estadão

EMPRESÁRIO DE PARNAMIRIM DIVULGA PRÉ-CANDIDATURA À PREFEITURA EM 2020

Falta pouco menos de dois anos para a eleição municipal de 2020, mas as articulações para o pleito já começaram na região. Em Parnamirim-PE, o empresário Giostene Miranda, sócio do Grupo MG, divulgou intenção de concorrer à prefeitura do município, apresentando-se como um candidato divergente da velha política.

Giostene já recebeu apoio de outros empresários que atuam no município, a exemplo de Paulo Tendtudo, que o considera preparado para assumir o governo de Parnamirim. “É um administrador de sucesso, que possui todas as credenciais para fazer uma gestão técnica, hoje essencial para a coisa pública”, afirma.

O empreendedor, que atua nos ramos de distribuição de gás, postos de combustíveis e supermercados, se apresenta como um visionário capaz de levar Parnamirim a um lugar de destaque no Sertão pernambucano.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/Blog do Alvinho Patriota

SAÍDA DE CUBANOS FOI PRECONCEITO DE BOLSONARO, DIZ LULA EM CARTA

O ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva lamentou a saída dos médicos cubanos do programa ‘Mais Médicos’ em razão do que considerou um “preconceito” do presidente eleito Jair Bolsonaro, segundo carta aberta publicada neste domingo, dia 16 de dezembro em Cuba.

“Eu lamento que o preconceito do novo governo contra os cubanos tenha sido mais importante que a saúde dos brasileiros que moram em comunidades mais distantes e carentes”, disse Lula na carta publicada no jornal Juventud Rebelde.

Cuba decidiu pelo retorno de 8.300 profissionais que trabalhavam no Mais Médicos, através da Organização Panamericana da Saúde, depois que Bolsonaro anunciou que mudaria as condições de contrato, o que Havana considerou inaceitável.

Lançado em 2013 pela presidente Dilma Rousseff, o programa permitiu dar assistência à população das regiões mais pobres e rurais do Brasil, principalmente graças à chegada de profissionais cubanos, que ocupavam metade dos postos do programa.

No contrato, os médicos recebiam 30% do valor desembolsado pelo Brasil, enquanto o restante ia para o orçamento da ilha, que por sua vez conservava seus salários e postos de trabalho em Cuba.

Bolsonaro exigia que os profissionais recebessem o salário integral.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/Jornal do Brasil

ELEIÇÃO DA NOVA MESA DIRETORA DA CÂMARA MUNICIPAL DE TRINDADE ACONTECE NA PRÓXIMA SEMANA

A Câmara Municipal de Trindade, casa Osmundo Granja Modesto anunciará nos próximos dias o seu novo presidente e demais membros da mesa diretora, uma sessão exclusiva para a realização da eleição está marcada para a próxima terça feira, dia 18 de dezembro, ás 16 horas no plenário da casa.

Em sessão realizada na ultima terça feira, dia 11, a atual presidência da Câmara emitiu o edital de convocação da eleição da escolha da nova mesa diretora para o biênio 2019-2020.  As chapas que irão concorrer os cargos devem ser registradas na secretaria da própria Câmara até as 13h do dia da eleição.

Na ultima terça feira durante os pronunciamentos da ordem do dia se confirmou que duas chapas estarão disputando a presidência, o atual presidente Ubirajara abriu mão de sua reeleição, já os Vereadores Jose Benicio (Zé Capacete), e Allan Galdino se mantem firmes para a disputa da presidência na próxima semana.

Vale ressaltar que essa será uma sessão exclusiva para a eleição da presidência da mesa diretora e não irá apresentar ou votar outras pautas.

Da  redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/Por Francisco Monteiro

PRESIDENTE NACIONAL DO MDB, ROMERO JUCÁ CITA FERNANDO BEZERRA COELHO COMO POSSÍVEL NOME PARA PRESIDÊNCIA DO SENADO

Em suas redes sociais, o senador e presidente nacional do MDB, Romero Jucá (MDB-RR) citou o nome do senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) para assumir o cargo da presidência do Senado. “O MDB tem excelentes nomes que pode indicar, como o presidente Renan Calheiros, os senadores Simone Tebet, FBC e Eduardo Braga“, afirmou em sua conta pessoal do Twitter nesta quarta-feira (5).

(Foto: Reprodução Twitter)

Ainda segundo Jucá, não será necessário ter uma disputa na bancada. “Não é necessário ter uma disputa, briga na mesa. o governo eleito vai precisar ter uma relação pacífica com a presidência das duas casas“, completou.

Em relação ao novo governo eleito está conversando com as bancadas temáticas, não tem como avaliar. É uma forma de conversa que não podemos pré julgar. Sabemos que as bancadas temáticas são importantes no Congresso e o que une as bancadas são os temas que elas representam“, disse.

Partido

O presidente do MDB, Romero Jucá, afirmou que o partido não deve aderir ao governo de Jair Bolsonaro e que manterá a “posição de independência“, apesar da indicação do deputado Osmar Terra (MDB-RS) para o Ministério da Cidadania. “Essa conversa está longe disso. O MDB continua na sua posição de independência“, declarou Jucá sobre no encontro da bancada de deputados do MDB com o presidente eleito, na última terça-feira (4).

A partir de 1º de janeiro, o MDB manterá uma independência ativa, apoiando medidas que buscam o crescimento do país, gestão eficiente e responsabilidade fiscal. No curto prazo, não faremos oposição nem seremos base, discutiremos caso a caso“, afirmou Jucá, em conta no Twitter. Segundo o senador, é natural que parlamentares do partido conversem com o governo eleito.

(Fonte: JC Online)

O PRESIDENTE ELEITO TERÁ ENCONTROS COM BANCADAS DO PR, MDB, PRB E PSDB NESTA SEMANA

O presidente eleito Jair Bolsonaro escolheu seus ministros sem dar trela aos caciques dos partidos políticos que comandam o Congresso há tempos. Confirmou, na prática, a promessa de campanha de que suas indicações estariam amparadas em critérios técnicos. Fez um aceno aos quase 60 milhões que nele votaram.

Até mesmo os políticos que nomeou – Onyx Lorenzoni, Tereza Cristina, Osmar Terra e Marcelo Álvaro Antônio – foram pinçados em razão da afinidade com o capitão reformado do Exército.

Nesta semana, no entanto, Bolsonaro terá encontros com as bancadas de quatro importantes siglas: PR, MDB, PSDB e PRB. Os caciques dessas legendas estavam ávidos para um frente a frente com o presidente eleito. Buscam entender os pormenores de sua linha de atuação e saber quanto vai durar o desprezo a eles.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/Revista Época

LULA PRESSIONADO PARA ACEITAR PRISÃO DOMICILIAR MAS DIZ QUE QUER TER INOCÊNCIA PROVADA

O ex-presidente Lula está recebendo pressão de amigos, correligionários e familiares para concordar com o pedido de uma prisão domiciliar.

O petista sempre rechaçou a ideia, com o argumento de que faz questão de ter a inocência reconhecida.

De acordo com interlocutores, ele segue resistindo à hipótese. Mas pessoas que o visitam estão dispostas a insistir nela.

A chance de Lula obter o benefício de cumprir o restante de sua pena em casa surgiu em junho, quando o advogado Sepúlveda Pertenceentregou um memorial aos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) fazendo o pedido. Lula, no entanto, repeliu a ideia.

Mesmo que o ex-presidente agora concorde e que o pleito seja novamente apresentado, não é seguro que será atendido pelo tribunal.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/Por Mônica  Bergamo – Folha de S.Paulo

MOURÃO ASSUMIRÁ A PRESIDÊNCIA POR DUAS SEMANAS APÓS CIRURGIA DE BOLSONARO

Com o adiamento da cirurgia do presidente eleito, Jair Bolsonaro , para depois da posse no dia 1º de  janeiro, o vice-presidente eleito, general Hamilton Mourão , deverá assumir a Presidência  por pelo menos duas semanas, tempo médio para recuperação da operação de retirada da bolsa de colostomia. A cirurgia foi adiada após Bolsonaro passar por exames na sexta-feira, dia dia 23 de novembro, que indicaram  inflamação do peritônio (membrana da parede do abdome). Inicialmente, a nova cirurgia estava prevista para 12 de dezembro, com tempo suficiente para a recuperação total antes da posse.
Ao longo da campanha, após algumas declarações do candidato a vice consideradas desastradas pela cúpula da campanha, Bolsonaro pediu para que o então colega de chapa evitasse polêmicas.
Mourão chegou a sugerir uma nova Constituição escrita por notáveis, disse que famílias apenas com mãe e avó eram “fábricas de desajustados” e que o 13º salário pago aos trabalhadores é uma “jabuticaba”, numa crítica de que só aconteceria no Brasil.
Com o adiamento, não há previsão de quando a nova cirurgia ocorrerá. Bolsonaro voltará ao Albert Einstein para uma nova avaliação médica em janeiro, quando será marcada a operação.
Os médicos calculam que, assim que for operado, Bolsonaro terá de ficar pelo menos cinco dias hospitalizado novamente no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Inicialmente, numa Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Depois, permanecerá cerca de dez dias em casa.
No início de novembro, Bolsonaro afirmou que, por conta da cirurgia, a data para a primeira viagem internacional como presidente eleito, que seria ao Chile, ainda não havia sido definida.
Não há um novo cronograma sobre a agenda de compromissos no exterior. Bolsonaro ficou 24 dias internado após ter passado pela primeira cirurgia, ainda em Juiz de Fora, depois de ser atingido por uma facada durante ato de campanha.
De acordo com os últimos exames, o presidente eleito está “bem clinicamente” e mantém “ótima evolução” do seu quadro clínico, apesar da inflamação.
Devido à cirurgia até então marcada para o dia 12 de dezembro, a diplomação do presidente eleito e do general Hamilton Mourão, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foi antecipada para o dia 10 de dezembro.
Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/Por Jussara Soares – O Globo

DEPUTADO FERNANDO MONTEIRO É RECEBIDO POR APOIADORES EM CIDADES DO SERTÃO

Cumprindo agenda constante nas cidades pernambucanas, neste fim de semana o deputado federal Fernando Monteiro (PP) esteve no Sertão em encontros com prefeitos e lideranças de Trindade, Ipubi, Santa Filomena e Ouricuri.
Em Ipubi, o parlamentar participou, ao lado do prefeito Chico Siqueira (PSB), da entrega de uma quadra esportiva e de uma ambulância, conquistas que contaram com seu esforço constante pela melhoria da qualidade de vida dos sertanejos.
Em Santa Filomena, com o prefeito Cleomatson (PMN), o deputado federal, conhecido por ser um homem de muita fé, recebeu, junto com o deputado estadual eleito Antonio Fernando (PSC), imagem da santa de mesmo nome da cidade.
Em Ouricuri, Fernando Monteiro esteve na Câmara Municipal ao lado dos apoiadores, como o vereador Iran Severo (PP), e com o prefeito Ricardo Ramos (PSDB). Na cidade, o parlamentar, eleito com mais de 82 mil votos, foi escolhido por mais de 1.400 eleitores.
Fernando Monteiro nesta segunda-feira, 26 de novembro, seguiu para Brasília.

MARÍLIA ARRAES VISITA OURICURI, AGRADECE VOTAÇÃO, DETONA PAULO CÂMARA E PARTE DO PT, ALÉM GARANTIR TRABALHAR PARA DEFENDER OS INTERESSES DOS PERNAMBUCANOS E OURICURIENSES

Sexta-feira, em visita a Ouricuri, a deputada federal eleita pelo PT visitou a cidade e durante entrevista exclusiva a Emanoel Cordeiro, falou da satisfação de retornar a e agradecera a votação recebida.

Marília Arraes, comemorou a vitória e o apoio recebido em Ouricuri, bem como falou da responsabilidade de trabalhar para melhoria do sertanejo, quando ela disse que espera trabalhar e obter muitas conquistas ao lado do deputado estadual eleito em Ouricuri e região, Antonio Fernando.

Sobre sua posição após assumir na câmara federal, Marília disse continuar na oposição,afirmou não comungar com políticos que se dizem oposição e em momento de eleição mudam e pousam sorrindo para fotos, se referindo ao governador reeleito Paulo Câmara, após ter sido rifada para concorrer ao executivo estadual, criticou a forma do governado assegurar o 13º do Bolsa Família e disse que será oposição ao governador, mesmo com o PT apoiando Paulo Câmara.

Sobre o governo federal, a deputada eleita reassumiu o papel de opositora, denunciando pretensões do presidente eleito e o taxando de querer modificar as leis trabalhistas, acabando com o 13º salário, férias e outros benefícios por meio da reforma trabalhista e acabar com a aposentadoria por meio da reforma providenciaria. Confira na íntegra a entrevista de Marília Arraes:

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro

BOLSONARO COGITA CRIAÇÃO DE CAMPO DE REFUGIADOS PARA VENEZUELANOS

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, defendeu hoje um rígido controle na entrada de refugiados venezuelanos que chegam ao país. Ele afirmou que os venezuelanos fogem de uma ditadura e que o Brasil não pode deixá-los à própria sorte. Como medida para tentar resolver o problema, o presidente eleito sugeriu a criação de campos de refugiados. “A criação de campos de refugiados, talvez, para atender aos venezuelanos que fogem da ditadura de seu país”, disse durante cerimonia militar no Rio de Janeiro.

Bolsonaro disse que esteve em Roraima por duas vezes ao longo dos últimos quatro anos e que o estado não vai conseguir resolver a situação sozinho. O presidente eleito disse que faltou ao governo brasileiro se antecipar ao problema e defendeu um controle migratório de venezuelanos mais firme. “Porque do jeito que estão fugindo da fome e da ditadura, tem gente também que nós não queremos no Brasil”.

Devolução de venezuelanos

Bolsonaro mostrou-se contrário à proposta do governador eleito de Roraima, Antonio Denarium (PSL), que cogita o fechamento da fronteira e defende a criação de um programa de devolução de venezuelanos para o país de origem.

“Eles não são mercadoria nem objeto para serem devolvidos. Se tivesse um governo democrático há algum tempo, nós deveríamos tomar outras providências como, por exemplo, excluir a Venezuela do Mercosul. A Venezuela não pode ser tratada como país democrático”.

Médicos cubanos

O presidente eleito falou também sobre a saída dos médicos cubanos do Programa Mais Médicos. Bolsonaro disse que o governo Temer já está realizando uma seleção para contratação de novos médicos para ocupar as vagas deixadas pelos cubanos e já tem um número suficiente para preencher as vagas.

“Nós não podemos deixar as pessoas no Brasil num regime de semi-escravidão, completamente ao arrepio da lei federal. Qualquer um de fora que trabalhe aqui tem que ser submetido as mesmas leis de vocês que estão aqui. Não pode confiscar salário, não pode afastar famílias. Temos muitos cubanos e cubanas que tem famílias lá em Cuba e já constituíram novas famílias aqui. Este projeto [Mais Médicos] destruiu famílias e nós não podemos admitir isso”, avaliou.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/Agência Brasil

ERNESTO ARAÚJO ASSUMIRÁ RELAÇÕES EXTERIORES

O presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou, há pouco, o nome do embaixador Ernesto Araújo para ocupar o cargo de ministro das Relações Exteriores. “A política externa brasileira deve ser parte do momento de regeneração que o Brasil vive hoje. Informo a todos a indicação do Embaixador Ernesto Araújo, diplomata há 29 anos e um brilhante intelectual, ao cargo de Ministro das Relações Exteriores”, afirmou Bolsonaro.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro/Magno Martins