PERNAMBUCO CONFIRMA 28 CASOS DE CORONAVÍRUS E DEIXA DE COBRAR CONTA DE ÁGUA A MAIS DE 120 MIL PESSOAS

Share this...
Share on Facebook
Facebook
0

Chegou a 28 o número de casos confirmados do novo coronavírus, em Pernambuco. De acordo com o boletim divulgado nesta quinta-feira (19), são seis casos a mais que na quarta-feira (18). Além disso, o estado anunciou medidas para melhorar o abastecimento e informou que vai deixar de obrar a conta de água a mais de 120 mil pessoas.

O novo boletim aponta que os novos casos foram registrados em quatro pacientes do Recife. Também estão na relação uma pessoa de Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana, e um morador do Rio de Janeiro, que teve passagem pela capital pernambucana.

Segundo o estado, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) vai isentar de pagamento as pessoas enquadradas na categoria social. Essa tarifa é cobrada a quem tem renda de até um salário mínimo e consumo residencial de até 10 metros cúbicos por mês, em média.

A medida, informou o governo, vale enquanto durar a crise causada pela Covid-19, doença causada pelo novo vírus.

Ainda de acordo com o governo, obras de curto prazo serão realizadas para ampliar a oferta de água no Grande Recife para 250 mil pessoas. Moradores da região têm se preocupado com o aumento de casos de coronavírus, devido ao racionamento. Eles questionam como é possível reforçar hábitos de higiene diante das torneiras vazias.

Para as comunidades que não têm abastecimento, o estado prometeu ampliar de 16 para 40 o número de carros-pipa enviados.

O Sistema Tapacurá, responsável pelo abastecimento de 25% do Grande Recife, terá um incremento de captação de água de 20%, passando de 2,5 mil litros por segundo para 3 mil. A ação é imediata e beneficia 150 mil pessoas.

De acordo com a secretária de Infraestrutura de Pernambuco, Fernandha Batista, também há uma expectativa de melhoria da distribuição de água por causa da previsão de chuvas para várias regiões.

“O volume a ser disponibilizado, que está em andamento no Sertão, tem possibilidade de ocorrer em 20% a mais que a média. Temos 14 barragens que estão ou vertendo ou perto disso. Isso quer dizer que há aumento considerado no nível dos rios. Um exemplo é a barragem de Jucazinho, que passou cinco anos colapsada. Esse nível, nas últimas 36 horas, passou de 0,8 para 5%”, afirmou.

A presidente da Compesa, Manoela Marinho, disse, no entanto, que a melhoria no abastecimento não significa mudança no calendário de distribuição de água.

“Nos morros da Zona Norte do Recife, temos áreas mapeadas que estão desabastecidas por causa da pressão. Agora, elas voltarão a receber água, devido a uma antecipação do uso de Tapacurá. Temos tido bastante chuva em nossos mananciais e algumas cidades já estão saindo da situação de colapso ou rodízio”, disse.

Da redação do BLOG do Emanoel Cordeiro – Radar de Notícias/G1 PE